Rascunho



Na pré-escola é proibido usar caneta porque você está aprendendo a escrever, com certeza vai errar e por isso usa lápis e borracha. Com o tempo você já sabe o suficiente para se arriscar na tinta e no auge de sua adolescência, cheio de certezas, começa a escrever em seu caderno com canetas de várias cores, ainda que as vezes recorra ao corretivo, na esperança de esconder algum errinho e manter o caderno impecável. Mas o certo é aprender a ser perfeito, porque no vestibular é proibido usar corretivo e se tiver muita rasura alguém (que não erra) vai tomar sua vaga. Para não esquecer o quão inseguro somos, sempre utilizamos uma folha de rascunho e só então transcrevemos para a folha oficial. Crescemos pensando que temos que ser perfeitos em tudo, não podemos errar, o erro é feio. Tem gente que pede até 3 folhas, começa a escrever, não gostou rabisca tudo, próxima folha. Droga de rasura, poderia ter usado palavras mais rebuscadas, próxima folha. E assim a essência do texto vai se perdendo nas 4 ou 5 folhas que foram jogadas fora. 

Acontece que o erro é bonito sim. Não devíamos ser ensinados a ter medo de errar, arriscar, chorar, afinal não é esse o único caminho para quem deseja viver? Repare que eu disse viver, porque a maioria de nós apenas segue uma rotina pré-estabelecida e qualquer mudança, próxima folha. Veja bem, a vida não te dá folhas de rascunho. Claro que você terá outras chances, mas tudo será escrito no mesmo papel, não há tempo para transcrever. Por isso pegue sua caneta bic, ainda que esteja falhando, e comece a escrever agora mesmo. Escreva o que vier, errou? Passa um traço e continua, isso vai te tornar mais cauteloso, mas não há nada mais bonito que a simplicidade de um rascunho, onde as ideias tomam forma e amadurecem, em meio a erros e acertos. 

E não é assim que a vida tem que ser? Uma crônica sem moral, uma dissertação que não necessariamente terá início meio e fim. As melhores ideias me surgem de madrugada, a famosa horinha de descuido de Guimarães Rosa. Eu escrevo no bloco de notas do celular tonta de sono, mas quando vou transcrever é tarde, já perdi a essência. O sentimento muda a cada segundo a vida é o próprio rascunho. Acostumar-se com a impermanência, alegrar o coração com as novas experiências. Escrever como nas antigas máquinas, a folha vai e volta e nos continuamos palavra por palavra, até construir uma história, com vários erros que no fim revemos orgulhosos pelo caminho que percorremos pra chegar aqui no presente, que também é futuro, sempre impermanente, como as células que se renovam a cada segundo e nem por isso sou menos eu.

Depressão

é querer esvaziar-se gritando aos quatro cantos o quanto está mal
e ao mesmo tempo querer sumir, para não pesar a existência de mais ninguém

é enxergar as flores como ervas daninhas
e sentir-se parte delas, uma vida sem porquê.

Tempestades




Grandes tempestades mesmo depois de acabarem sempre deixam rastros. Nos últimos dias o mundo esta numa tempestade que parece não ter fim, parece que de repente me toquei de quão ruim o mundo pode ser. E desde então descobri coisas sobre mim mesma que outrora não me caberiam.

Brasil,ame-o ou deixe-o. Se eu pudesse deixava. Tanta maldade,tanta ganância, tanta corrupção. O cenário político e social me assusta. Os cientistas políticos facebookianos também, agora os amigos (amigos?) que postam #bolsonaro2018 #bolsomito me assustam ainda mais.

Nunca fui fã de política, sempre preferi me abster dessas discussões, afinal não tenho muito conhecimento acadêmico para tal. Sempre gostei de história ( não que eu saiba muita coisa) e vejo claramente ela sendo escrita. Mesmo que em linhas tortas e sendo narrada por uma elite global nada imparcial. 

Estamos escrevendo parte da história que meus filhos ou netos estudarão para passar no vestibular. Aliás, seus filhos e netos, nos últimos dias percebi que não quero tê-los. O mundo é ruim. Já pensou se nasce menina então? O mundo não é bom,e o mundo é pior ainda para as mulheres.

Inclusive deixo aqui o meu recado : Homens, vocês sabiam que assobiar,buzinar, chamar uma mulher de "gostosa" "delícia" no meio da rua não te fazem mais homens? Testem! 

Tá tendo guerra na Síria, ataques em Manchester, presidente ilegítimo ganhando mesadinha, preconceito contra nordestino sendo feito e gravado em pleno planalto central, edifícios sendo demolidos com dependente químico dentro e ninguém faz absolutamente nada.

Que horas chegamos a esse ponto? Que horas cheguei a esse ponto?

Em qual momento passamos a ser tão desumanos ao ponto de likes serem mais importantes do que uma vida,seguidores serem mais importantes que amizades verdadeiras, "opiniões" serem única e exclusivamente motivos para textões no facebook. Em que momento fast amores se tornaram mais interessantes do que relacionamentos sólidos? O que eu tava fazendo que não percebi que Black Mirror era muito melhor que a realidade?

Como diria o lendário Chorão: "Que mundo é esse que ninguém entende um sonho? Que mundo é esse que ninguém sabe mais amar?"

Não disse que grandes tempestades deixam rastros? E deixaram, em mim. 

Lhes apresento meu novo eu : jovem de 20 e poucos anos,mulher,negra, nordestina, pseudo arquiteta, votou no PT, espírita, que não quer ter filhos, e a nova descrente do mundo. 

Boa noite. Ou seria apenas noite?





Marcas e feridas


Quando você machuca alguma parte do corpo o processo de recuperação pode parecer lento, mas é evidente. Você tem certeza que a coloração diferente do roxo ou a dor que apareceu em outro local faz parte da cura e espera pacientemente por isso. 

Quando você sofre por amor, também passa por estágios, mas nunca tem certeza aonde vai chegar. A ansiedade te consome e tudo parece mais devagar. Na verdade a sensação é de que levou um soco no estômago e ainda assim não consegue vomitar os sentimentos bons que ficaram e insistem em morar na minha cabeça, lembrando tudo o que não foi, tudo o que poderia ter sido. Eu queria um remédio que me deixasse com raiva depois de tudo o que eu ouvi, para poder dar início ao meu tratamento, Queria ao menos aniquilar essa esperança, até porque tanto faz voltar ou ir, ainda que só haja a segunda opção.

Falar em desproporção de sentimentos é normal, o amor não chega ao mesmo tempo para os dois, por isso a relação pode parecer desigual. Mas não posso permanecer numa relação que você entende estar fadada ao fim. Onde só um sabe que é exatamente ali que quer estar, ignorando os contratempos, agora conhecidos por privações, que poderiam gerar insegurança. Agora o que resta é a sensação de não ser boa o suficiente para fazê-lo ficar.

Eu não tenho a capacidade de acordar me sentindo livre e desimpedida, fingindo que nada aconteceu. Me parecia confortável, quente, seguro, e ainda que não tenha muitas provas materiais ou lembranças concretas, posso afirmar que os meus sentimentos cresceram, amadureceram, floriram, enquanto o seus caíram e você fingiu não ver. O roxo está mudando de cor, mas a cura não parece próxima. Talvez porque eu saiba que não é a última vez que vou enfrentar esse processo. Sei também que ele não é fácil, parece impossível apagar essas palavras que torturam meu inconsciente, o machucando. 

Eu sei, você também deve estar confuso e perdido. Mas por mais que você diga que onde tem amor não tem dor, acredite, amar sozinho dói. Um dia você vai descobrir isso, sem vacina, sem remédio, sem alguém para lhe dizer que vai ficar tudo bem. Você vai finalmente cair, depois de tanto cambalear. Eu bem que tentei me apoiar em você para dividirmos as forças, mas a minha dose não foi o suficiente. Eu deveria saber disso, você nunca foi fã de remédios, talvez prefira doses letais. 

Você foi a casquinha da minha última ferida e eu cuidei muito bem da cicatrização. Quando eu finalmente melhorei, você se foi, deixando tudo aberto novamente. Apesar da dor familiar, eu ainda não entendo o porquê dessa atitude repentina, quando tudo ia tão bem. A verdade é que a gente nunca sabe como o outro se sente, por mais que se esforce para isso, as vezes nem nós sabemos. Só seguimos com a certeza de que correr riscos pode trazer novas feridas que um dia serão apenas marcas que contam histórias

Siga o blog por email