"Antiprincesas" - A coleção infantil sobre mulheres inspiradoras

1.10.15


Quando eu era pequena tinha um grande livro de histórias, a minha preferida era a do Ali babá e os 40 ladrões, mas adorava também a do rei pelado (A roupa nova do imperador) e a da menina dos palitos de fósforo. Talvez eu não saiba te contar essas histórias tão bem quanto as das princesas da Disney, isso porque a indústria nos compra desde pequenas. Meninas são ensinada a se vestirem de tal maneira, usar maquiagem, serem educadas e esperarem pelo seu príncipe encantado. Então crescemos com expectativas impossíveis de serem alcançadas, ouvindo as pessoas nos chamando de princesas e tudo isso parece lindo, mas a vida não é um conto de fadas. 


Nunca me senti parte de um conto de fadas, mas como todas as minhas amiguinhas fizeram festas de princesas o meu aniversário de 9 anos foi da Bela (de Bela e a Fera). Eu queria festa do Batman, mas sabia que não podia porque "era coisa de menino". Então escolhi a Bela, porque a achava bonita e inteligente, diferente das outras que sempre me pareceram um pouco bobinhas. Assim como a minha mãe fez comigo eu quero ler de tudo para os meus filhos e se você desanima quando entra em uma loja e só vê livrinhos rosa, vai adorar a coleção "Antiprincesas" da editora de livros Chimbote. Conta a história de mulheres de verdade, latino-americanas, fortes e guerreiras, como Frida Kahlo e Juana Azurduy. É lógico que os livros são recheados de ilustrações e linguagem acessível, a intenção é orientar, educar e ao mesmo tempo despertar o interesse dessas crianças. 

"Por um lado, o modelo de Princesas da Disney, reforçado a cada nova produção cinematográfica e, por outro lado, a chegada de um modelo que eleva e ressalta as figuras de mulheres combatentes, comprometidas com se entorno."

Nadia Fink - Autora do livro

Antes que você fique com raiva, queria deixar claro que eu não sou contra a Disney e suas princesas, até porque elas também estão mudando, adoro a Merida de Valente e algumas princesas antigas como Mulan e Jasmine. Amo filmes de desenho e valorizo a inocência das crianças, porque a minha infância foi maravilhosa. E é exatamente por isso que é importante educarmos essa nova geração mostrando a força que elas têm e não impondo comportamentos ou separando o que é brinquedo de menina e menino. Está permitido se vestir de princesa, de super herói, do que quiser, mas é importante empoderar essas meninas para que elas sejam grandes mulheres e saibam disso! Essa coleção é perfeita pra isso, uma pena que por enquanto os livros só estejam disponíveis na Argentina. Eu não sou mãe, mas se um dia eu for a minha filha não será princesa, será o que ela quiser, linda, forte, inteligente, MULHER! 

Leia também

0 COMENTE

Siga o blog por email